Maior melhora desde 2014 29/09/2016

Cresce confiança da indústria

notícia 0 comentários


Após chegar ao fundo do poço, em agosto de 2015, Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getúlio Vargas avançou 2,1 pontos em setembro, para 88,2 pontos, o maior nível desde julho de 2014 (88,8). A expansão no mês atingiu 12 dos 19 segmentos pesquisados e foi determinada tanto pela melhora das expectativas quanto das avaliações sobre a situação atual.


O Superintendente de Estatísticas Públicas da FGV/IBRE, Aloisio Campelo Junior, diz que gradualmente a confiança está voltando. "A indústria parou de cair, mas a produção não está subindo nem caindo", comenta. Acrescenta que o conjunto de resultados mostra um desempenho volátil em termos de produção, com continuidade do ajuste de estoques, enfraquecimento da demanda externa e uma demanda interna ainda muito fraca.


Aloisio Campelo observa que a novidade favorável foi a alta mais expressiva do indicador que reflete otimismo no horizonte de seis meses, especialmente no segmento de bens duráveis.


De acordo com a pesquisa realizada desde 1966, em setembro tem um número maior de empresas prevendo aumentar a produção. Na comparação de setembro deste ano com igual período do ano passado os setores mais otimistas são os da indústria têxtil, vestuário e couros e calçados, que tem grande peso na indústria cearense. O levantamento é nacional e ouve as principais empresas dos segmentos pesquisados em todo o Brasil.


O superintendente de Estatísticas Públicas da FGV/IBRE analisa que mesmo com a melhora em setembro, persistem as dúvidas quanto à velocidade e a extensão da recuperação da confiança. "A demanda externa enfraqueceu e a demanda interna demora a dar sinais de recuperação. Há incerteza em relação ao câmbio, às taxas de juros e com o ambiente político", diz.

 

> TAGS: economia
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Mais comentadas

anterior

próxima

Jornal de Hoje | Economia