CASES DO INOVACONSTRUIR 28/09/2016

Novo sistema vai baratear construção

Em evento do Sinduscon-CE, a Coopercon-CE informou que passará a negociar todos os insumos da construção
notícia 0 comentários
{'grupo': '', 'id_autor': 18866, 'email': 'beatrizsantos@opovo.com.br ', 'nome': 'Beatriz Cavalcante'}
Beatriz Cavalcante beatrizsantos@opovo.com.br
DIVULGAÇÃO
InovaConstruir Experience reúne cerca de 700 participantes, dos setores público e privado, ligados à Construção Civil


Um dos cases presentes no InovaConstruir Experience, realizado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE), a Cooperativa da Construção Civil do Ceará (Coopercon-CE) informou que passará a negociar toda a cadeia de insumos do setor, o que totalizará 17 mil itens, a partir de janeiro de 2017. Isso vai baratear os custos da construção. A novidade virá junto com o aniversário de 20 anos da entidade e do lançamento do seu novo portal. Hoje, a Coopercon, apesar de ser exemplo na construção civil brasileira em termos de compra coletiva de insumos para os associados, negocia apenas 32 itens de maneira manual.


 

João Carlos Lima, presidente da Coopercon-CE, detalhou que o modelo de negociação vai servir para ser utilizado por todas as cooperativas do País e que o portal está em formatação há um ano. “Já fizemos um test drive. Comercializamos fardamentos e itens de segurança e obtivemos uma margem de diferença no preço, entre as maiores empresas dos ramos, de 47% desses itens”, diz.


InovaConstruir

O case da Coopercon é apenas um dos que estão no InovaConstruir Experience. A ideia do encontro, que reúne 700 participantes dos setores público e privado ligados à construção civil, é promover a disseminação do desenvolvimento tecnológico no setor.

 

André Montenegro, presidente do Sinduscon-CE, diz que quer fomentar a inovação no associado, trazendo cases de tecnologia, gestão e vendas. No evento, ele mesmo dá o exemplo, com a Olé Casas.


Essa tecnologia consiste na pré-fabricação de painéis de alvenaria com blocos cerâmicos tradicionais, concreto e argamassa, com instalações elétricas e hidráulicas embutidas, que são moldados na horizontal e depois transportados e montados, dando forma a unidades habitacionais. “Precisamos fazer parte da automação e quebrar esse paradigma de que as pessoas têm medo de inovar”, afirma.


Olé Casas

André cita, por exemplo, que a Olé Casas monta 160 m² com custo 20% menor que as tradicionais constroem 20 m². Com essa tecnologia, ele conseguiu fechar uma franquia com uma empresa do Paraná e negocia parceria com a alemã Martin Mass, do Grupo Progresso - empresa de tecnologia de pré-fabricados.

 

Este ano, a empresa investirá R$ 1 milhão somente em pesquisas e mais R$ 1,5 milhão em duas fábricas no Ceará. Uma em Pacajus, já em atividade, que fornece material de construção para a Região Metropolitana e outra no Distrito de Croatá, em São Gonçalo do Amarante, que deve começar em novembro.


Para a segunda fábrica, foi fechada uma parceria com a italiana Planet Idea, para a construção da primeira Smart City, um complexo residencial, comercial e industrial, em Croatá, imerso em tecnologia e baseado nos pilares de baixo custo, social e eco sustentabilidade - ideia que também foi apresentada no evento.


Em relação à Smart City, o projeto “já está passando pela aprovação da segunda etapa”, conforme Susanna Marchionni, administradora da Planet. A primeira fase possui 90 hectares, com investimento de 18 milhões de euros. A cidade terá 330 hectares.

 

SERVIÇO

 

InovaConstruir

Experience

Quando: até hoje

Onde: hotel Gran Mareiro

www.inovaconstruirexperience.com.br


Saiba mais


André Motenegro, presidente Sinduscon-CE, diz que o setor da construção civil ainda vem passando por dificuldade, mas acredita que a tendência é de melhora. “Já vai dar uma melhorada pequena, mas vai”, diz.


A melhora , avalia André, virá pela abertura das novas linhas de financiamento


Luís Fernando Mendes, economista da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) , diz que as parcerias públicos privadas farão com que o investimento volte a crescer no País e haja retorno do emprego na indústria da Construção. setor teve impacto da crise, com perda de estoque de empregos formais de 7% até agosto deste ano ante mesmo período de 2015

 

espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Economia