SALDO MENSAL DE EMPREGOS 24/09/2016

CE registra pior saldo desde 2003

O Ceará registrou 406 novos postos de trabalho em agosto. Apesar de positivo, esse é o pior resultado para o mês desde 2003. No acumulado do ano, houve perda de 50,7 mil postos
notícia 1 comentários
{'grupo': '', 'id_autor': 19043, 'email': 'ligiacosta@opovo.com.br', 'nome': 'L\xedgia Costa'}
Lígia Costa ligiacosta@opovo.com.br
RODRIGO CARVALHO, EM 8/7/2015
Construção Civil foi o setor com maior queda mensal no saldo de empregos, já Comércio e Administração de Imóveis teve a maior alta


Em agosto de 2016, o Ceará registrou saldo de 406 vagas formais de trabalho. Apesar de positivo, esse é o pior resultado para o mês, desde 2003, conforme dados divulgados ontem pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho. No acumulado do ano, houve perda de 50,7 mil postos, uma baixa de 4,16%.


 

Fortaleza teve queda mensal de 961 vagas formais no período, o pior saldo entre todos os municípios cearenses. Eusébio (571), Granja (343) e Maracanaú (251) garantiram o maior número de vagas.


O setor da Construção civil foi o que mais perdeu vagas, fechando 947 postos. André Montenegro Holanda, presidente do Sinduscon-CE, atribui a queda de empregos no setor à crise econômica e política que o Brasil ainda atravessa. Diante de um mercado recessivo, as construtoras ficaram mais cautelosas com seus orçamentos. “As obras do Minha Casa Minha Vida (programa social) estão acabando, o Governo não está contratando mais. As obras vendidas pelas incorporações também estão acabando”, explica. A expectativa, segundo ele, é que haja um leve aquecimento no setor até o final do ano.


Depois da Construção civil, o Comércio foi o setor que sofreu maior retração, com menos 370 vagas em agosto. “Essa queda se deve ao momento econômico que a gente vive desde o ano passado. O comerciante ficou muito preocupado e diminuiu as contratações”, justifica Cláudia Brilhante, diretora institucional da Fecomércio-CE. Desconsiderando o cenário negativo, ela prevê que o setor deve obter resultados melhores nos quatro últimos meses deste ano, em relação ao mesmo período de 2015.


Maior oferta

Com a abertura de 1.270 postos de trabalho formais, o setor de Serviços foi o que mais empregou em agosto de 2016, com destaque para o subsetor de Comércio e administração de imóveis, valores mobiliários, serviço técnico (1.229), e para o subsetor de Ensino (526). O 2º setor a somar o maior número de vagas formais disponíveis foi Agropecuária (910).

 

Saiba mais


Saldo de empregos no Ceará segundo o Caged


Agosto/2016

Total de admissões: 35.490

Total de desligamentos: 35.084

Saldo total: 406

Variação de empregos formais: 0,03%

 

Em 12 meses

Total de admissões: 420.885

Total de desligamentos: 471.604

Saldo total: -50.719

Variação de empregos formais: -4,16%


No ano

Total de admissões: 280.215

Total de desligamentos: 309.180

Saldo total: -28.965

Variação de empregos formais: -2,42%


Maior geração de vagas em agosto

Serviços: 1.270

Agropecuária: 910

Administração pública: 15

Setores com perda de vagas em agosto

Construção Civil: -947

Comércio: -370

Serviço industrial de utilidade pública: -240

 

> TAGS: 0
espaço do leitor
Franse41 24/09/2016 14:46
Eis Mais uma "Obra" do PT: DESEMPREGO. PT = Partido das Trevas. PT = Perda Total. PT NUNCA MAIS.
1
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Economia