PIMENTA 17/09/2016

O molho de Paraipaba que deu certo

notícia 0 comentários


As pimentas também fazem parte da vida profissional de Haroldo Pereira. Em meados dos anos 2000, ele apostou muitas fichas na promessa de exportação de pimenta tabasco em perímetro irrigado no município de Paraipaba, distante 94,6 km de Fortaleza. O negócio parecia promissor: a produção seria toda adquirida por uma importadora que levaria o produto direto para os EUA. Porém, fatores como sol e vento faziam com que o condimento, apesar do sabor e qualidade preservada, ficasse com a aparência irregular, mais alaranjada. Aliada à queda do dólar e a escassez de mão-de-obra, aquele foi o fim para muitos produtores familiares daquela região. Mas não para Haroldo. Sem abrir mão da produção que tinha em casa, ele decidiu junto com a filha Lívia transformar seu modelo de negócio.


Ao invés de vender o produto in natura, resolveu usá-los em molhos de pimenta caseira a partir da receita que aprendeu com a mãe. A iniciativa se mostrou acertada e há oito anos o Temperos Amora ganhou o mercado.


Hoje, além de restaurantes e mercados, como o de São Sebastião, em Fortaleza, os molhos de pimenta de Haroldo, que ganhou três versões (ao leite, com vinagre e in natura), são encontradas também no Maranhão. São mais de 5 mil litros de molho produzidos por mês. “Foi a minha volta por cima”.


Ele conta que entrar no mercado não foi fácil, foi muito boca a boca até que o produto fosse conhecido, mas um ponto que fez a diferença - além de claro, o sabor - foi a profissionalização. “Nosso produto é caseiro, mas tem a mesma qualidade que outros da indústria, temos, engenheira de alimentos e cuidado com a higiene”.

 

SERVIÇO

 

Pimentas Vó Luzia

Telefone: 85- 986447071 

 

Pimentas Amora

Telefone: 85 – 996981693

 

> TAGS: economia
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Economia