POLÊMICAS 17/08/2016

Direitos dos trabalhadores e demandas da indústria

notícia 0 comentários


Centrais sindicais se manifestaram ontem em pelo menos 12 cidades brasileiras, incluindo São Paulo e , contra as mudanças na legislação trabalhista. Na avaliação dos sindicalistas, as propostas de terceirização, valorização dos acordos sindicais entre trabalhadores e empregadores e flexibilização da CLT visam apenas tirar direitos dos trabalhadores.

 

O secretário de Políticas Sociais da CUT-CE e diretor do Sindicato dos Servidores Públicos Federais (Sintsef-CE), Roberto Luque, diz que o projeto da terceirização é muito nocivo porque precariza as condições de trabalho com a retirada de vários direitos trabalhistas consagrados na CLT. Como exemplo, cita a antecipação de 1/3 das férias e o pagamento de 40% em cima do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em casos de demissão.


Roberto Luque também afirma que o governo e os empresários querem aumentar a carga horária de trabalho. “Nós queremos reduzir de 44 para 40 horas semanais e eles querem aumentar porque dizem que em outros países se trabalha mais”, afirma.


O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, manifestou ontem ao presidente Michel Temer, em Brasília, a importância de mudanças na legislação trabalhista.


A indústria defende três medidas que considera alterações prioritárias na reforma. São elas: valorização da a negociação coletiva, regulamentação da terceirização e aperfeiçoamento da NR Nº 12. (Artumira Dutra)

 

> TAGS: economia
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Economia