LUCRO MENOR 15/08/2016

Preço competitivo

notícia 0 comentários

 
Os preços também são atrativos dos “mercadinhos”. Conforme a GfK, no primeiro trimestre de 2016, mercados de vizinhança venderam 35 produtos de consumo básico a preços menores que os praticados em super e hipermercados.


“O pequeno varejista não tem poder de barganha para comprar mais e melhor, então teve que reduzir um pouco a margem de lucro dele para ser competitivo com o grande varejista e manter sua clientela”, afirma Marco Aurélio Lima, que vê no pequeno varejo, com seus produtos básicos, uma alternativa para evitar compras desnecessárias.


Mais competitivo e otimista, o pequeno varejo no Brasil tem as mulheres como um dos perfis predominantes entre gestores, com destaque, mais uma vez, para o Nordeste. “Em média, cerca de 26% dos gestores desse mercado são mulheres. No Nordeste, isso chega a quase 40%. No Nordeste, as mulheres são muito mais empreendedoras e mais ativas na vida de varejo do que os homens nas outras regiões do País”. (LC) 

espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Economia