Grand Shopping 11/08/2016

Grupo do Grand Shopping avalia investir em outro empreendimento

Foi inaugurado ontem o Grand Shopping, na Messejana. Além de já terem perspectiva de ampliação do equipamento, empresários avaliam implantar outro shopping em Fortaleza
notícia 0 comentários
FOTO EVILÁZIO BEZERRA
O Grand Shopping abriu as portas ontem, às 13h


Fortaleza pode receber outro Grand Shopping nos próximos anos. Há avaliações para que um novo empreendimento seja construído em um bairro populoso da Capital. A informação é de Valmir Costa, superintendente do Grand Shopping Messejana, que abriu suas portas na tarde de ontem.


“O grupo é capitalizado. Existem projetos de hotéis e torres em Fortaleza. Tem muita coisa para acontecer. Nosso mercado merece outro Grand Shopping”, disse. Não há valores definidos.


Ele destaca que, antes de novo investimento no setor, é necessário estudo de viabilidade, além de conhecer hábitos e comportamentos do eventual público – lojistas e consumidores. “Sempre conversamos e estudamos a região. Recebemos propostas para se instalar em outros bairros. Não se trata apenas de viabilidade financeira”, reforça. Praças do Interior do Estado, como Juazeiro do Norte e Sobral, no momento, não estão na mira dos investidores.


O Grand Shopping Messejana foi construído numa parceria entre a Simplex Incorporações e o Grupo Redefone. A expectativa é que o shopping tenha faturamento de R$ 240 milhões ao ano. O número de clientes deve girar entre 500 mil e 600 mil pessoas. Para a construção do empreendimento foram investidos R$ 100 milhões. O equipamento irá atender até 33 bairros da Capital. O consumo da região (Grande Messejana) é de aproximadamente R$ 2,4 bilhões ao ano.


Valmir afirma haver uma mudança com relação à visão do shopping. “O shopping deixou de ser exclusivamente um centro de compras e se transformou numa área de entretenimento e lazer que também vende. Essa á a nossa proposta com o Grand Shopping”, reforça.


A Simpex Incorporações constrói condomínios há 15 anos. Já o Grupo Redefone é responsável pela distribuição de produtos de telefonia no Nordeste.


Expansão

O prognóstico é que sejam gerados três mil empregos diretos e indiretos com o empreendimento. Ele terá 182 lojas, cinco âncoras e seis megalojas e praça de alimentação para 600 pessoas. No total, serão 21 opções de restaurantes fast-foods, cinco salas de cinema e 970 vagas para estacionamento. A área total construída é de 41 mil metros quadrados.

 

Já a ABL é de 14.050 m², com possibilidade de expansão para 6 mil m², previstos para os próximos três anos. “Se o shopping maturar como esperamos, a expansão pode ocorrer já em 2017”, destaca Valmir. (Átila Varela)

 

espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Mais comentadas

anterior

próxima

Jornal de Hoje | Economia