Ceará 10/08/2016

Varejo do CE cresce 0,5% na comparação com mês anterior

Dados do IBGE mostram, entretanto, que o volume de vendas foi 6% menor na comparação com o mesmo período de 2015. Divulgadas ontem, as informações são referentes ao mês de junho
notícia 0 comentários
{'grupo': 'Da Reda\xe7\xe3o O POVO', 'id_autor': 16390, 'email': 'artumira@opovo.com.br', 'nome': 'Artumira Dutra '}
Artumira Dutra artumira@opovo.com.br


A taxa de volume de vendas do varejo do Ceará em junho teve leve alta de 0,5% em relação a maio. Mas na comparação com igual período do ano passado o recuo é de -6%. Os dados são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) de junho, divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


Segundo o analista de Políticas Públicas do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), Alexsandre Lira Cavalcante, de modo geral os números mostram a deterioração do desempenho do varejo cearense. Observa que o ano de 2016 está sendo pior que o de 2015. Explica que a leve alta de junho não significa recuperação ante uma queda de 2,7% em maio, quando o comércio cearense teve um dos piores Dia das Mães.


Para Alexsandre a situação ruim é reflexo da conjuntura negativa onde se destacam a inflação que se mantém alta e o desemprego que está na casa de dois dígitos. “Por isso, os bens de consumo tiveram uma queda fortíssima”, comenta, ressaltando que até mesmo o setor de alimentos vem sofrendo quedas.


Ele destaca ainda que as taxas negativas são crescentes. Acrescenta que as vendas de eletrodomésticos, por exemplo, caíram 30% no segundo trimestre contra 10% no ano passado.


Apesar do índice e variação da receita nominal de vendas do comércio varejista cearense estar positiva em junho (6%) e no acumulado do ano (5,3%), afirma que não é relevante. “Não é crescimento real é por causa do preço maior, é efeito da inflação”.


De acordo com o IBGE, nos seis primeiros meses do ano, a variação de volume de vendas no comércio varejista cearense, é de - 6,8% e nos últimos 12 meses -6,2%. As taxas de abril, maio e junho foram todas negativas, com destaque para a de maio (-10,8%) quando se esperava aumento de vendas.


Conforme a PMC, no confronto com igual mês do ano anterior, o setor varejista brasileiro prosseguiu em queda, com o índice mensal de junho de 2016 apontando o 15º mês consecutivo de recuo nas vendas e com predomínio de taxas negativas entre as oito atividades investigadas.


Com isso, o índice semestral registrou recuo no volume de vendas de 7,0% nos seis primeiros meses de 2016, apontando o terceiro semestre consecutivo com taxa negativa e a menor variação para essa comparação desde 2001.


Regionalmente, em junho de 2016, das 27 Unidades da Federação 13 apresentaram queda no volume de vendas, na comparação com o mês imediatamente anterior, na série com ajuste sazonal.

 

> TAGS: ceará
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Mais comentadas

anterior

próxima

Jornal de Hoje | Economia