Enacab 09/08/2016

Setor atacadista do Ceará deve crescer 6% neste ano

Estimativa é de José do Egito, presidente da Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores (Abad)
notícia 0 comentários
FOTO DIVULGAÇÃO
José do Egito, presidente da Abad: encontro do setor espera receber 30 mil visitantes e gerar mais de R$ 20 bilhões em negócios


Ligia Costa

ENVIADA A SÃO PAULO (SP)*

ligiacosta@opovo.com.br


Otimista diante da leve recuperação verificada no 1º semestre, o setor atacadista do Ceará espera crescer cerca de 6% até o fim do ano. O dado foi estimado ontem pelo presidente da Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores de Produtos Industrializados (Abad), o cearense José do Egito Frota Lopes Filho, durante o Encontro Nacional da Cadeia do Abastecimento (Enacab). O evento começou ontem e segue até amanhã em São Paulo.


 

Segundo o presidente da Abad, o incremento no setor atacadista cearense, que representa 5% do mercado nacional, deve ser “lento, gradual e saudável”. Ele destaca que, embora de forma ainda cautelosa, é possível perceber um aumento na confiança do consumidor cearense. “O consumidor está cauteloso. Isso é necessário porque o dinheiro está mais curto. Comprando mais barato, o dinheiro vai render e ele vai comprar mais, fazendo ‘girar a roda’ da economia”.


Ele afirma que as empresas do setor estão atentas a isso. “Desde 2015, elas vêm fazendo ajustes internos e investindo em melhorias na operação e na gestão para garantir a competitividade diante de um cenário profundamente desafiador”.


Jocélio Parente, presidente da J.A Comercial - empresa instalada em Fortaleza focada na distribuição de bebidas e alimentos - vê o empresário mais motivado, mas ainda dependente de uma definição quanto ao impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. “A ideia é retomar o crescimento e traçar estratégias para o 2º semestre, mas tem muita gente um pouco retraída, esperando a decisão que vamos ter nos próximos dias quanto ao direcionamento do País”.


Fernando Costa, diretor comercial da FC Distribuidora - de utilidades domésticas -, acredita que a economia voltará à estabilidade somente daqui a dois anos e aqueles que atravessaram toda a crise saíram mais fortalecidos. “Os atacadistas do Ceará são bem profissionalizados, o varejo do Ceará é bem estruturado e isso vai facilitar a recuperação. O pior já passou”. Visando superar o difícil cenário econômico, Fernando aumentou o número de pessoas na área comercial da sua distribuidora, passou a negociar com consumidores promoções pontuais e ofereceu ao varejo ofertas e campanhas de vendas.


Crescimento nacional

Resultados da pesquisa mensal do Banco de Dados Abad e da pesquisa Termômetro de Vendas, realizadas pela Fundação Instituto de Administração (FIA), projetam que o ano deve se encerrar no Brasil com o pequeno crescimento de 1% sobre o faturamento do setor atacadista distribuidor em 2015, que foi de R$ 214,4 bilhões. As perdas reais acumuladas no ano passaram de -0,7%, em maio, para -0,22% em junho. Apesar de negativo, o resultado é considerado satisfatório pela Abad.


*A repórter viajou a convite da Abad

 

Saiba mais


Realizado pela Abad, o Enacab é o maior encontro da cadeia de abastecimento do País. Neste ano, o evento reuniu representantes da indústria, agentes de distribuição e varejo independente. A feira está ocupa 10 mil m² do São Paulo Expo (antigo Centro de Exposições Imigrantes) e se preparou para receber estandes de cerca de 150 fornecedores de produtos, serviços e equipamentos. Ao longo dos três dias, são esperados cerca de 30 mil visitantes. A expectativa é que ao longo dos três dias sejam gerados mais de R$ 20 bilhões em negócios.

 

espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Economia