Fortaleza 05/08/2016

Cesta básica 4,29% mais cara

notícia 0 comentários


O conjunto dos 12 produtos que compõem a cesta básica de Fortaleza registrou alta de 4,29% e chegou a R$ 403,38, o maior valor desde 1986 quando o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) iniciou a Pesquisa Nacional da Cesta Básica na capital cearense. Pelo oitavo mês seguido, a cesta se mantém como a mais cara entre as capitais do Nordeste.


A inflação em Fortaleza foi puxada por dez itens, com destaque para os preços do feijão (16,82%), tomate (11,28%), farinha (7,33%) e leite (5,97%). A economista do Escritório do Dieese no Ceará, Elizama Paiva, diz que a cesta básica aumentou em 22 das 27 capitais pesquisadas. Adianta que o aumento se justifica pela quebra de safra dos principais produtores no Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais e Paraná, que enfrentaram problemas climáticos.


No caso do feijão, Elizama explica que a alta de preços foi influenciada pela falta de produto no mercado interno. Além disso, acrescenta, a remessa de feijão produzida na Bahia não foi suficiente para atender a demanda local. Ela considera ainda os cinco anos de seca que o Ceará enfrenta. Os preços da farinha subiram por causa da menor oferta do produto.


O Dieese informa que as maiores altas da cesta básica ocorreram em Boa Vista (8,02%), João Pessoa (5,79%), Manaus (5,27%) e Maceió (4,50%). As retrações aconteceram em Florianópolis (-4,35%), Belo Horizonte (-0,64%), Belém (-0,60%), Porto Velho (-0,56%) e Brasília (- 0,23%). (Artumira Dutra)



> TAGS: Cesta básica
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Economia