Aposentadoria 01/08/2016

Governo cogita idade mínima de 70 anos

Projeto deve ser enviado ao Congresso após as eleições municipais. Inicialmente, idade mínima deve ser de 65 anos, podendo chegar a 70
notícia 13 comentários
{'grupo': 'Da Reda\xe7\xe3o O POVO', 'id_autor': 16390, 'email': 'artumira@opovo.com.br', 'nome': 'Artumira Dutra '}
Artumira Dutra artumira@opovo.com.br

Mais tempo trabalhando e pagando mais contribuições. É assim que especialistas resumem a proposta de reforma na Previdência Social que o Governo deve enviar ao Congresso Nacional, provavelmente após as eleições municipais. Segundo informações divulgadas pelo O Globo, o eixo é a adoção de uma idade mínima para a aposentadoria, de 65 anos, podendo chegar a 70 anos no futuro. Além disso, serão atingidos os trabalhadores de até 50 anos. Terão direito a uma regra de transição aqueles que tiverem 50 anos ou mais quando a reforma for promulgada. Nesse caso, haverá um pedágio entre 40% e 50%. Ou seja, terão de trabalhar por um período adicional para requerer o benefício pelas normas atuais.

 

Advogada especializada em direito previdenciário, Alice Aragão diz que as regras são duras e mexem em pontos não tocados nem na reforma da Previdência de 1991, como a aposentadoria especial para professores. Acrescenta que sob a justificativa de déficit, que ela chama de “não comprovado”, na Previdência Social o governo quer arrecadar mais.


O consultor de Previdência Social, Newton Conde, destaca que o fator de transição, mais ou menos agressivo, deve ser um ponto de conciliação técnica e política. Ele entende que a idade mínima será um instrumento eficiente que vai trazer economia para o Governo. Avalia que o fator previdenciário não estava impedindo o trabalhador de se aposentar quando completava o tempo de contribuição porque continuavam a trabalhar. De acordo com o especialista, hoje, chega a cerca de 8 milhões o número de pessoas que são aposentadas e continuam a trabalhar. “Usam a aposentadoria como uma segunda renda”.


Para o vice-presidente do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças do Ceará (IBEF-CE), Ênio Arêa Leão, o que é importante que se faça uma reforma na Previdência Social para dificultar novas aposentadorias para o bem do País e das futuras gerações. “Hoje não é sustentável”, afirma, ressaltando que o Estado brasileiro é endividado e pobre.


Mas, apesar de defender os ajustes, Ênio destaca que não se pode jogar toda a conta do atraso para o trabalhador pagar. “Tem que fazer também reformas política, trabalhista, fiscal e acabar com regalias, principalmente de funcionários públicos que não podem ter direitos diferentes do restante da população”, conclui.

espaço do leitor
Eduardo Barros Leal 02/08/2016 08:09
Para quem defendeu a saida da presidenta DILMA, agora aguentem este cr@apula e sua turma, está só esperando a definição de sua interinidade para abrir o saco de maldades. É o que dá, um povo que entende mais de futebol que de história.
DIRETO AO ASSUNTO 01/08/2016 11:38
COM ESSE PROJETO IMORAL DE LASKAR O TRABALHADOR E FUTURO APOSENTADO, O FILHO DO POBRE QUE COMEÇA A TRABALHAR COM 18 ANOS QUANDO CHEGAR AOS 70 ANOS, SE CHEGAR, TERÁ CONTRIBUÍDO 52 ANOS, PARA SUSTENTAR ESSES VAGGABUNNDOS QUE SÓ FAZEM LEI CONTRA A POPULAÇÃO.
Gugu 01/08/2016 10:40
COMO ESSES DEMAGOGOS E HIPÓCRITAS TÊM FACILIDADE DE ENCONTRAREM SOLUÇÕES PARA PUNIR O TRABALHADOR. O BRASIL COM O DESEMPREGO QUE TEM, COMO QUE SE CHEGA A 35 ANOS DE CONTRIBUIÇÃO? AGORA, SERÁ QUE TÊM CORAGEM DE MEXEREM NOS SALÁRIOS E IMORAIS VERBAS DE GABINETES DOS POLÍTICOS ENGANADORES E IMPRODUTIVOS PARA O PAÍS?
Délio Amora Maciel Neto 01/08/2016 09:56
SE NO INSS TÁ ASSIM É PORQUE NINGUÉM VÊ A PREVIDÊNCIA PÚBLICA, LÁ O ROMBO É MAIOR, ELES POLÍTICOS, GOVERNADORES E PRESIDENTES DOS INSTITUTOS DE PREVIDÊNCIA DOS ESTADOS FIZERAM UMA VERDADEIRA ROUBALHEIRA DOS FUNDOS APLICANDO EM FUNDOS PODRES DO MERCADO EM TROCA DE GORDAS COMISSÕES, ROUBO PURO, PREJUÍZO SEM RETORNO PARA OS SEGURADOS, E SÓ SE FALAM EM PETROLÃO, DEVIAM ERA FAZER UM DA PREVIDÊNCIA PÚBLICA QUE PEGAVA MUITO MAIS GENTE EM TODOS OS ESTADOS E PREFEITURAS
O OBSERVADOR 01/08/2016 09:53
A PREVIDÊNCIA É PAGA NÃO É DE "GRAÇA" COMO O BOLSA-FAMÍLIA. EMPREGADOS E EMPREGADORES PAGAM E MUITO. RECEBE DINHEIRO DE IMPORTAÇÕES, LOTERIAS, LEILÕES DA RECEITA, UNIÃO,ESTADOS E MUNICÍPIOS....AGORA SE TÁ QUEBRADA É PORQUE METEM A MÃO NO DINHEIRO DELA PARA OUTRAS FINALIDADES, INCLUSIVE A ROUBALHEIRA, E NO FINAL O TRABALHADOR É QUE TEM QUE PAGAR A CONTA. ABSURDO!!!
Ver mais comentários
13
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Economia