Primeira Chance 30/07/2016

Projeto capacita estudantes para universidades de ponta

Alunos com bom rendimento em escolas públicas são selecionados pelo projeto Primeira Chance, que oferece suporte estudantil e acompanhamento para que possam chegar a universidades de excelência
notícia 0 comentários
{'grupo': '.', 'id_autor': 19052, 'email': 'irnacavalcante@opovo.com.br', 'nome': 'Irna Cavalcante'}
Irna Cavalcante irnacavalcante@opovo.com.br
FOTO MATEUS DANTAS
Na foto, Armênia está rodeada por estudantes do projeto e que têm a chance de, no futuro, tornarem-se profissionais de excelência


Quando se sabe que se está diante de um novo Albert Einsten, um Steve Jobs ou um Mark Zuckemberg? Não se sabe, mas, com estímulo adequado, infraestrutura de estudo e esforço próprio é possível que esta mente brilhante esteja em qualquer lugar, inclusive, em uma escola pública do Interior. Com o espírito de ampliar o leque de oportunidades de jovens de baixa renda, que contrariam condições adversas e se destacam, o projeto Primeira Chance oferece bolsas de estudos em escolas de excelência em Fortaleza, hospedagem, alimentação, transporte e mentoria para que eles possam chegar às universidades de ponta.


 

O projeto surgiu, há cinco anos, da inquietação de jovens executivos, muitos deles engenheiros do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Perceberam que muitos alunos de escolas públicas apresentavam bons resultados nas Olimpíadas de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), mas poucos conquistavam medalhas de ouro e prata se não estivessem em Colégio Militar. Daí veio a ideia de encontrar estes alunos e oferecer-lhes custeio dos estudos em escolas de excelência da Capital, como Ari de Sá e Farias Brito, além de assistência para que pudessem seguir longe nos estudos.


A iniciativa se mostrou acertada. O primeiro aluno incentivado hoje é graduando do ITA. O projeto já ajudou mais de quinze a entrarem em universidades como a Federal do Ceará (UFC), ITA, Instituto Militar de Engenharia (IME), Insper de São Paulo e até em universidades do Exterior. Hoje são 52 bolsistas no Ceará, a maioria do Interior.


O acompanhamento começa a partir do 9º ano do Ensino Fundamental. Livros paradidáticos, material escolar, transporte, alimentação e, no caso dos alunos que vêm do interior, hospedagem é custeada pelas doações captadas pelo Primeira Chance. São R$ 9 mil anuais com alunos do Interior, sem contar as bolsas.


“Nem sempre é fácil achar este aluno. A gente pega o resultado da olimpíada e manda carta para escola, liga, mas, às vezes, a escola não tem interesse, nem telefone. Depois tem o convencimento para trazer aquele aluno”, diz Armênia Sales, uma das responsáveis pelo projeto no Ceará.


O susto

Érica Batalha, 15 anos, assustou-se quando recebeu o convite há dois anos. A família já tinha se mudado, em 2013, de Acaraú - a 234 km de Fortaleza - para que a menina pudesse estudar em uma escola pública da Capital e se preparar para as olimpíadas escolares, em que conquistou uma medalha de bronze. “Parecia bom demais para ser verdade”, conta. Desconfiança desfeita e após passar pela seleção, ela diz com orgulho o que o projeto representa na sua vida. Érica quer participar de olimpíadas escolares internacionais ou quem sabe até estudar em uma faculdade no Exterior.

 

SERVIÇO

 

Oscip Primeira Chance

Onde: www.primeirachance.org.br

Telefone: 85 -999661716


Saiba mais


O próximo processo seletivo do Primeira Chance ocorrerá no dia 9 de outubro, em Fortaleza. Além dos que foram contatados pelo grupo, interessados que se encaixem no perfil de bolsistas podem se inscrever pelo site até o dia 30 de setembro


Para participar, o estudante tem que ter, no máximo, 17 anos completos no momento de sua inscrição, ter uma renda familiar per capita de até um salário mínimo e ser estudante de escola pública. Serão ofertadas bolsas de estudo para alunos do 9º ano, 1º e 2º ano do Ensino Médio. Os alunos não podem ter repetido um ano escolar, ter se destacado em respeitadas olimpíadas de conhecimento e/ou ter demonstrado, de outras formas, grande capacidade intelectual.


A seleção é composta de provas de matemática e português, além de entrevista individual e com a família. O número de bolsas é limitado pelos recursos levantados pela Primeira Chance e pela qualidade dos alunos participantes dos processos seletivos. Não há regra ou número fixo de bolsas concedidas por ano. Mas a expectativa é de que este ano pelo menos 25 novos alunos sejam incorporados ao projeto


Empresas interessadas em ajudar o projeto com doações podem encontrar informações pelo site

 

espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Economia