CSP 27/07/2016

Primeiras placas de aço saem em expedição para Itália e Turquia

A Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) realiza envio da primeira placa de aço, ao todo são 20 mil toneladas. Turquia e Itália são os destinos da primeira carga que será despachada até o final de agosto
notícia 1 comentários
{'grupo': 'Da Reda\xe7\xe3o O POVO', 'id_autor': 16390, 'email': 'artumira@opovo.com.br', 'nome': 'Artumira Dutra '}
Artumira Dutra artumira@opovo.com.br
DIVULGAÇÃO CSP
Dezesseis carretas estão transportando as placas pela CE-155 até o Porto do Pecém


O despacho da primeira placa de aço comercial até o Porto do Pecém foi realizada ontem pela manhã pela Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP). A operação efetiva desta encomenda para um dos sócios da joint-venture – Dongkuk –, totalizando 20 mil toneladas de placas de aço, terá continuidade na próxima segunda-feira, 1º de agosto. Evento é considera marco histórico da primeira usina siderúrgica integrada do Nordeste e contou com a presença de representantes do corpo gerencial da empresa, em uma cerimônia interna.


 

Maior investimento privado do Brasil em andamento, US$ 5,4 bilhões, a CSP iniciou em junho a operação do alto-forno. Está localizada na Zona de Processamento de Exportação do Ceará (ZPE), no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), e é formada pela brasileira Vale (50%), maior mineradora do mundo em minério de ferro, e as sul-coreanas Dongkuk (30%), maior compradora global de placas de aço, e Posco (20%), quinta maior siderúrgica do mundo e a primeira da Coreia do Sul.


Nesta primeira fase, a companhia terá capacidade para produzir até três milhões de toneladas de placas de aço por ano, gerando 2.800 empregos diretos, 1.200 terceirizados e 12 mil indiretos. O Produto Interno Bruto (PIB) industrial será incrementado em 48% e o do Ceará em 12%, a partir da operação da usina.


Embarque

O transporte das placas acontecerá pela CE-155, por meio de 16 carretas. O embarque via Porto do Pecém, tendo como destino a Turquia e Itália, será feito até o final da primeira quinzena de agosto. Com dimensões entre 220mm até 11.800mm, as primeiras placas de aço da CSP para exportação serão utilizadas no processo de relaminação à quente. As próximas exportações, com datas a serem definidas, serão para Europa, Ásia, África e Estados Unidos. A segunda encomenda atenderá pedido do outro sócio da CSP, no caso, a sul-coreana Posco.

 

Uma das mais modernas usinas siderúrgicas do Brasil e do mundo, a CSP produzirá placas de aço para geração de produtos laminados de alta qualidade para a indústria naval, de óleo & gás, automotiva e construção civil. Toda a produção, que até o momento soma 68 mil toneladas de placas de aço, será voltada para os sócios Vale, Dongkuk e Posco, que definirão os tipos de aço e as quantidades que necessitam.


A expedição das primeiras placas ocorre nesta fase de comissionamento das principais plantas da usina – coqueria, sinterização, alto-forno, aciaria e lingotamento contínuo. A CSP terá capacidade máxima de produção anual de até 3,156 milhões toneladas de aço líquido e três milhões de toneladas de placas semiacabadas.

 

> TAGS: economia
espaço do leitor
Roberto Marinho 27/07/2016 13:01
O início das exportações da CSP tem uma importância história por vários motivos dos quais vou citar apenas um: A ZPE do Ceará foi a primeira a ser implantada no Brasil e é a primeira a ter um Mega empreendimento (o maior investimento privado em execução neste momento), sendo também a primeira a realizar exportações. Isto sem sombra de dúvida será uma mola propulsora para mais indústrias com vocação exportadora em nosso Estado. a CÂMARA TEMÁTICA - COMÉRCIO EXTERIOR DO CEARÁ vibra com o fato!!
1
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Economia