Aeroportos 19/07/2016

Começa inspeção mais rígida de passageiros

Aeroportos do País enfrentaram filas, ontem, no primeiro dia de vigência das novas regras. Com isso, Anac pediu que passageiros cheguem duas horas antes do voo
notícia 0 comentários
{'grupo': '', 'id_autor': 19043, 'email': 'ligiacosta@opovo.com.br', 'nome': 'L\xedgia Costa'}
Lígia Costa ligiacosta@opovo.com.br
FOTOS ELIOMAR DE LIMA E JULIO CAESAR, ESPECIAL PARA O POVO
Aeroporto de Fortaleza: às 6h (foto á esquerda), fila para entrar na área de embarque; ás 17h (foto á direita), o embarque acontecia com fluidez


A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) começou a executar ontem a intensificação de procedimentos de segurança para voos domésticos em todos os aeroportos do Brasil. A medida causou filas em aeroportos do País, inclusive no de Fortaleza, e o órgão orientou os passageiros a chegarem duas horas antes do horário do voo.


 

As novas determinações, sem prazo para serem encerradas, são normatizadas pelo Regulamento Brasileiro da Aviação Civil número 107 e têm como intuito garantir maior segurança aos passageiros.


Dentre as medidas, está a revista física aleatória de passageiros, realizada com um escâner corporal ou por um agente de proteção da aviação civil do mesmo sexo do passageiro. Mesmo que o detector de metais não dispare, a revista pode ser feita.


Caso o passageiro se recuse a passar pela revista, será proibido de acessar as áreas restritas dos aeroportos (áreas de embarque, pista e aeronaves). Todos os passageiros, inclusive crianças, autoridades e pessoas com Necessidade de Assistência Especial (PNAE), estão sujeitos a passar pela revista. Segundo a Anac, há um critério sigiloso para a seleção das pessoas submetidas à revista física.


Inspeção de bagagem

Ainda conforme a norma, é obrigatória a retirada de computadores portáteis e, eventualmente, de outros dispositivos eletrônicos do interior de malas e mochilas na bagagem de mão para inspeção, assim como já ocorria em voos internacionais. Conforme explica a Anac, a presença do notebook compromete a visualização dos itens presentes na bagagem durante a inspeção no raio X.

 

Para garantir maior celeridade e reduzir as filas nos terminais de voo, a Anac recomenda que os passageiros retirem antecipadamente da bagagem de mão seus notebooks, e, se necessário, cintos, relógios e outros objetos metálicos para a passagem pelo Raio X.


Caso seja localizado algum objeto suspeito, o agente de proteção solicita a verificação detalhada. A partir do resultado, o passageiro pode ser encaminhado a prestar esclarecimentos à Policia Federal.


Apesar da proximidade dos Jogos Olímpicos Rio 2016, a Agência diz que a implantação da norma não tem ligação com o evento ou “com qualquer outro fator externo”.


Tira-dúvidas


1 - Crianças também serão submetidas à revista física?

Sim. Entretanto, a idade mínima é uma informação reservada por questões de segurança.

2 - Serão realizadas revistas íntimas?

Não.

3 - Como os agentes de proteção foram preparados para realizar os procedimentos de segurança?

Os Agentes de Proteção são capacitados e certificados para realizar os procedimentos de segurança conforme a regulamentação vigente.


4 - Serão tomadas medidas para mitigar possíveis filas?

Sim. Os operadores aeroportuários estão cientes dos novos

procedimentos de segurança e adotarão as medidas necessárias para agilizar o processamento dos passageiros.


5 - Por que essas medidas de segurança estão sendo implementadas agora?

As medidas estão sendo adotadas em função da atualização normativa sobre a segurança da aviação civil contra atos de interferência ilícita, necessária para a melhoria contínua da segurança do transporte aéreo a todos os passageiros.

 

FONTE: ANAC

 

Multimídia

Íntegra do tira-dúvidas da Anac

http://bit.ly/29PzFzQ

 

> TAGS: 0
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Economia