Mercado 12/07/2016

Bovespa fecha no maior nível em quase 3 meses

O Índice Bovespa fechou o dia de ontem com alta de 1,54%, atingindo a melhor pontuação desde 28 de abril. Já o dólar teve leve alta, de 0,47%, em dia de atuação do Banco Central para conter queda na moeda
notícia 0 comentários


Em um dia de euforia no mercado financeiro, a Bolsa de Valores de São Paulo fechou no maior nível em quase três meses, e a moeda norte-americana operou perto da estabilidade. O Ibovespa, índice da Bolsa de Valores de São Paulo, encerrou a segunda-feira com alta de 1,54%, aos 53.960 pontos, em alta pela quarta sessão seguida. O indicador está no maior nível desde 28 de abril, quando havia fechado aos 54.312 pontos.


Os principais destaques foram as ações da Petrobras, as mais negociadas, e da mineradora Vale. Os papéis da Petrobras subiram 4,8% (ações ordinárias, com direito a voto em assembleia de acionistas) e 5,28% (ações preferenciais, que têm prioridade na distribuição de dividendos). As ações da Vale valorizaram-se 4,14% (ordinárias) e 3,69% (preferenciais).


No mercado de câmbio, o dólar comercial operou próximo da estabilidade. A moeda norte-americana encerrou o dia vendida a R$ 3,31, com alta de R$ 0,016 (0,47%). Apesar da valorização de 3% em julho, a divisa acumula queda de 16,2% no ano.


Depois de não intervir no mercado de câmbio na última sexta-feira, o Banco Central voltou a vender US$ 500 milhões em contratos de swap cambial reverso. Esse tipo de operação ajuda a conter a queda da moeda norte-americana por equivaler à compra de dólares no mercado futuro.


No cenário internacional, o dia foi de otimismo nos mercados financeiros. As principais bolsas da Europa fecharam em alta. Nos Estados Unidos, o índice S&P 500 aproximou-se do recorde histórico. O índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, fechou no maior nível em 14 meses.

Boletim Focus

Otimismo também no Boletim Focus divulgado ontem pelo Banco Central. Segundo o levantamento, o mercado financeiro melhorou as expectativas para inflação e Produto Interno Bruto (PIB) do País neste ano.

 

A expectativa para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial, passou dos 7,27% esperados na semana passada para 7,26% nesta semana. Apesar de leve melhora, a previsão continua acima do teto da meta do Governo, que é de 6%.


Já a expectativa para a retração na economia foi revisada para baixo. Os analistas ouvidos pelo Banco Central apontam uma retração de 3,3% em 2016. Na semana passada, a projeção era de queda de 3,5%.


Para 2017, o Focus manteve a projeção de crescimento de 1% do PIB. Enquanto a projeção para a inflação no ano que vem ficou em 5,40% - ante os 5,43% da semana passada.


O mercado financeiro manteve a previsão para a taxa de juros no fim de 2016 em 13,25% ao ano. Já para o fechamento de 2017, a estimativa para a taxa de juros ficou estável, em 11% ao ano. (das agências)

 

> TAGS: bovespa mercado
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Economia