Imóveis 11/07/2016

As líderes em vendas no Ceará

No ranking do segundo trimestre de 2016, Moura Dubeux, Mota Machado, Colmeia e Marquise estão no pódio, com os maiores VGVs
notícia 0 comentários

A Moura Dubeux foi a construtora com maior Valor Geral de Vendas (VGV) no Ceará no segundo trimestre de 2016, com R$ 35 milhões. Com R$ 32 milhões, Mota Machado está em segundo no ranking. Colmeia e Marquise, com R$ 25 milhões cada, empatam em terceiro lugar. Os dados são da Lopes Immobilis.

 

No ranking do primeiro semestre do ano, Moura Dubeux também encabeça a lista das que mais venderam, com VGV de R$ 77 milhões. Novaes (R$ 62 milhões), BSPar (R$ 59 milhões) e Mota Machado (R$ 55 milhões) aparecem em seguida. No período, o Valor Geral de Vendas (VGV) em Fortaleza foi de aproximadamente R$ 900 milhões.


Dentre as construtoras, o maior crescimento entre o primeiro e o segundo trimestre do ano foi observado na Mota Machado, cujo VGV cresceu 139%, indo de R$ 23 milhões para R$ 32 milhões entre os dois períodos.


Ricardo Bezerra, sócio-diretor da Lopes, explica que, apesar de sempre haver aqueles que vendem mais, os números do trimestre revelam que a diferença entre as dez primeiras colocações é pequena e por isso todas as construtoras que figuram no ranking apresentaram bons resultados.


Os dados apresentados durante o Flash Imobiliário da Lopes Immobilis, relativos as 60 maiores construtoras, mostram ainda que houve redução de 2,8% no número de construtoras que conseguiram vender um imóvel durante o mês. Além disso, aumentaram em 5% as que não chegaram a vender qualquer unidade. Por outro lado, foram observados aumentos de 12% entre as que venderam entre três e cinco unidades e de 22% entre os que venderam acima de cinco imóveis.


Com relação à área, o segmento que mais vende atualmente é o de 50 a 69 metros quadrados, com um total de 54 unidades vendidas no mês, frente a 31 unidades entre os de 70 a 89 e mais 31 unidades entre os de 90 a 109. O grupo compreendendo imóveis com acima de 130 metros quadrados foi responsável por 23 unidades vendidas.


O estudo também concluiu que as construtoras estão lançando menos. No comparativo entre 2015 e 2016, ocorreu uma baixa de 66% no número de novos empreendimentos lançados (de 12 para quatro) na comparação entre o acumulado do primeiro semestre de cada ano. O número de unidades lançadas teve queda de 77%, de 1.720 para 389. A queda no VGV é de 74%, diminuindo de R$ 935 milhões para R$ 243 milhões. Para 2017, um segmento que deve ter maior crescimento é o da segunda moradia, aposta Ricardo. Em junho, neste perfil, começou com estoque de 532 unidades.

 

Rankings


As maiores em VGV no segundo trimestre de 2016

1- Moura Dubeux: R$ 35 milhões

2- Mota Machado: R$ 32 milhões

3- Colmeia / Marquise: R$ 25 milhões cada

4- Diagonal: R$ 23,2 milhões

5- BSPar: R$ 22,9 milhões

6- Helbor: R$ 20,7 milhões

7- Magis: R$ 20,5 milhões

8- Novaes: R$ 15,8 milhões

9- C. Rolim: R$ 15,5 milhões

10- Manhattan: R$12,3 milhões

 

As maiores em VGV no primeiro semestre de 2016

1- Moura Dubeux: R$ 77 milhões

2- Novaes : R$62 milhões

3- BSPar: R$59 milhões

4- Mota Machado: R$55 milhões

5- Diagonal: R$55 milhões

6- C.Rolim: R$49 milhões

7- Colmeia: R$48 milhões

8- Magis: R$ 44 milhões

9- Helbor: R$41 milhões

10- Marquise: R$40 milhões

 

VGV no primeiro semestre em Fortaleza

2014 – 2385 unidades, VGV de R$1,3 bilhão

2015 – 2392 unidades, VGV de R$1,2 bilhão

2016 – 1.411 unidades, VGV de R$ 900 milhões

> TAGS: imóveis
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Economia