Mobile RSS

rss
Assine Já
Audiovisual 23/11/2013

Mercado audiovisual em Fortaleza está aberto a produtoras

O setor de produção audiovisual de Fortaleza se mostra aquecido e aberto a novos empreendimentos, mas ainda há poucas empresas na área
{'grupo': 'ESPECIAL PARA O POVO', 'id_autor': 18943, 'email': 'economia@opovo.com.br', 'nome': 'Yara Peres'}
Yara Peres economia@opovo.com.br
HUMBERTO MOTA
Nilton Macambira, da Kroma Video, foi um dos pioneiros entre as empresas em Fortaleza
Compartilhar


O mercado cearense de produções audiovisuais no segmento publicitário tem mostrado avanço nos últimos anos. Mas, mesmo com a demanda aquecida, de acordo com a presidente do Sindicato de Agências de Propaganda do Estado do Ceará (Sinapro), Ana Celina Bueno, ainda são poucas as produtoras de vídeo na Capital. “Temos carência nessa área, desde o atendimento até o cumprimento do processo de produção com excelência”.


Ernani Paiva e Ana Paula Pinheiro são sócios da produtora Ursa Maior, em Fortaleza. A dupla atua no mercado cearense há cinco anos e realizou o desejo de montar a empresa a partir de análise do mercado local. “Detectamos uma carência que vi desde a forma de atender, até o procedimento interno com fornecedores, e decidimos fazer diferente trazendo uma nova mentalidade”, afirma Ernani. Ana Paula, responsável pela área administrativa da produtora, comenta que o investimento inicial para montar a estrutura da empresa custou cerca de R$ 100 mil. “É um investimento alto, você tem que conhecer”, salienta ele. Segundo Ana Paula, o início teve muita captação e redução de custos com pessoal terceirizado, mas ela afirma: “é possível conseguir um retorno financeiro em até um ano”.


Para Ernani, a experiência na área de audiovisual foi determinante para construção do nome da empresa no mercado. “Nós já contratamos pessoas qualificadas e sempre promovemos curso de capacitação para a equipe”. A empresa tem atualmente 20 funcionários e conta com aproximadamente 50 colaboradores indiretos, número que varia de acordo com cada produção.


Sobre os desafios do segmento, ele afirma que a demanda é sazonal, mas considera que “o mais difícil é fidelizar o cliente”. Ainda segundo o sócio, o Ceará melhorou muito em produções audiovisuais, e dentre os estados do Nordeste líderes no mercado publicitário, como Bahia e Pernambuco. Para Ana Paula, no entanto, a postura de alguns clientes desagrada. “O cliente não se preocupa muito com a qualidade e sim com o preço. Isso é negativo”.


A empresa já conta com algumas premiações, e para os sócios, o reconhecimento do trabalho é gratificante, tendo em vista o esforço que envolve a equipe em cada produção. “O nosso trabalho é reconhecido e divulgado pelos próprios clientes”, afirma Ernani, que atualmente atende à demanda de todo o Brasil.


Diferencial

Com a rapidez dos avanços tecnológicos e digitais, é fundamental que a empresa invista em equipamentos de qualidade a fim de oferecer a mesma linguagem digital. Para Ernani Paiva, o diferencial é fundamental para se manter no mercado. No meio digital, os equipamentos em alta resolução distribuem essa qualidade de conteúdo.

 

Quanto custa

 

O investimento inicial em estrutura varia de R$ 20 mil a 2 mi


De 10 a 250

mil reais é o preço variável de uma campanha

 

15 mil reais

é o valor aproximado de uma câmera simples

 

30/40 mil reais

custa a plataforma para edição

 

50 mil reais

é o preço médio para o servidor de vídeo

 

Sugestão do leitor


Esta matéria foi sugerida pelo leitor


Para sugerir uma pauta


envie e-mail para

vocefazopovo@opovo.com.br

ou ligue para: 3254 1010 opção 3

Compartilhar
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:

Mais comentadas

anterior

próxima