Mobile RSS

rss
Assine Já
PARA ESPECIALISTAS 04/11/2012

Acionar termelétricas não é bom negócio

Compartilhar

Apesar de o sistema ser utilizado em situações emergenciais, para especialistas do setor elétrico, acionar as termelétricas não é um bom negócio. Segundo o diretor do Instituto de Eletrotécnica e Energia da Universidade de São Paulo (USP) e ex-diretor da Petrobras, Ildo Sauer, o valor pago pela tarifa de energia não corresponde à qualidade que os serviços são oferecidos pelas empresas geradoras, transmissoras e distribuidoras de energia. De acordo com Sauer, o Canadá possui uma matriz energética bastante parecida com a do Brasil, “lá a energia é bem mais barata do que aqui e a qualidade é bem superior”, compara.

 

Ainda segundo Ildo Sauer, as usinas termelétricas brasileiras foram contratadas pelo governo devido à falta de planejamento para o setor elétrico. Para o especialista, o modelo brasileiro já teria condições de trabalhar com uma matriz energética com fontes, predominantemente, renováveis. “A matriz brasileira pode ser uma combinação de hidráulica, com um conjunto de usinas eólicas complementares”, defende.


Conforme Jurandir Picanço, consultor para Assuntos de Energia da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), a ativação das usinas termelétricas preocupa devido ao aumento nos custos. “Ela é uma energia mais cara e os consumidores acabam pagando a mais por isso”, afirma. (MA)

Compartilhar
espaço do leitor
Marcos 03/11/2012 18:54
Para a implantação das termoelétricas o argumento era o de tornar o Ceará exportador de energia ao invés de importador, mas não se falava no custo. Foram instaladas as termolétricas e agora elas não prestam, o negócio é implantar os parques eólicos. Depois virá o lobby da energia solar, autogeração
Este comentário é inapropriado?Denuncie
1
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:

Mais comentadas

anterior

próxima

24h|48h Últimas