Mobile RSS

rss
Assine Já
Logística 14/07/2012

Refinaria no Ceará é estratégica para o Brasil

Especialistas do mercado de petróleo defendem que refinaria no Estado vai diminuir as distâncias e, consequentemente, os custos na distribuição de combustíveis pelo País. Importação de diesel poderá ser reduzida
BANCO DE DADOS
Terreno destinado a construção da refinaria no Ceará no Complexo Industrial Portuário do Pecém
Compartilhar


Nem só de argumentos políticos se faz o discurso que defende a refinaria no Ceará. Especialistas do mercado de petróleo entram com a defesa técnica: a refinaria no Estado é ponto estratégico para facilitar a logística e diminuir custos.


Tem mais. Segundo eles, o refino de alta qualidade da futura Premium II vai não só atender ao mercado interno como irá gerar excedente suficiente para a exportação. O Brasil deixaria então de importar diesel e se equilibraria a balança comercial do setor.


O País tem 13 refinarias, das quais 11 são operadas pela Petrobras. O número, de acordo com o consultor de petróleo e gás, Bruno Iughetti, seria suficiente para atender à demanda interna de 2 milhões de barris por dia, não fosse a extensão territorial do Brasil.


“Com a extensão continental do País, é muito grande o custo com a logística de distribuição de combustíveis, principalmente para o Nordeste”, afirma. Enquanto São Paulo tem 4 refinarias, todo o Norte e Nordeste contam apenas com a refinaria da Bahia e outra pequena em Manaus.


“Fortaleza até se utiliza dessas duas refinarias, mas ainda é preciso vir um navio de outras regiões, especialmente do Sudeste. Há um desequilíbrio que precisa ser corrigido”, diz o consultor.


É por isso que ele defende a refinaria Premium II. “Fortaleza é o epicentro do Nordeste. Então, a refinaria do Ceará vai ter importância estratégica. Vamos ter custo menor no transporte e logística mais simples. Não precisaríamos nem das refinarias do Maranhão (Premium I) nem da de Pernambuco”, explica.


O professor de engenharia química da Universidade Federal do Ceará (UFC), Mardônio Lucena, engrossa o coro. “Para transportar combustível do Sudeste até aqui, se gasta mais combustível. E acaba se pagando mais por ele também. O Nordeste precisa dessa refinaria”, argumenta.


O consumo maior de gasolina no Brasil – pela falta de competitividade do etanol – e o desequilíbrio na produção brasileira do mix de derivados do petróleo ainda estimulam a importação de óleo diesel. A Premium II, com excelência na fabricação de diesel e gasolina, poderia suprir essa demanda crescente e evitar a importação.


“A refinaria do Ceará terá perfil de produtos de excelência. Vamos deixar de importar diesel, vamos atender plenamente o mercado interno e ainda exportar o excedente”, avalia Bruno Iughetti.


Busca por sócios

Conforme publicado no O POVO, no último dia 12, o governador Cid Gomes disse que a refinaria do Ceará poderá ser construída em sociedade da Petrobras com outros investidores, estrangeiros ou brasileiros, para que o cronograma seja acelerado.

 

O governador disse ontem ao O POVO que voltará a conversar com grupo de investidores da Inglaterra, com o qual já conversou no passado. Cid também vê possibilidade de interesse de investidores coreanos. “Estou conversando com pessoal da Dongkuk (sócio da siderúrgica) para que eles me ajudem a abrir canal na Coreia”, disse.


Para Iughetti, no entanto, a captação de sócios para a refinaria não será fácil, por conta da retração econômica mundial e do interesse da Petrobras em investir no pré-sal. “O custo para investir em águas profundas é altíssimo. Com o petróleo a, no máximo, US$ 110 o barril, se torna um negócio de pouco retorno para o investidor”, avalia.


O barril teria que custar de US$ 135 a US$ 140 para ser hoje um bom negócio. Sem contar o baixo retorno econômico de refinarias. “Quem tem capital quer investir onde há taxa de retorno mais atraente. Acho que a Petrobras é capaz financeiramente de bancar essa refinaria sozinha”, diz.


Mas o professor da UFC, Mardônio Lucena, não concorda. Diz que o mercado energético sempre é um bom investimento, pela demanda constante.


Ele diz que a crise europeia não deve interferir na captação de investidores para a refinaria. No entanto, também acha que a Petrobras possa 100% do investimento.


“Talvez, só momentaneamente, a Petrobras não esteja conseguindo aportar recursos para a Premium II, mas o potencial que se vislumbra com o pré-sal é grande. Interesse na construção de mais refinarias não falta”, acredita. (Colaborou Jocélio Leal)

 

O quê


ENTENDA A NOTÍCIA


Especialistas acreditam que a Petrobras tem total interesse em construir novas refinarias, porque ela quer explorar as enormes jazidas de petróleo do pré-sal. Mas as promessas da estatal têm tropeçado nos planos da nova diretoria.

 

Luar Maria Brandão luar@opovo.com.br
Compartilhar
espaço do leitor
Politico 15/07/2012 08:04
Estamos em campanha política. A refinaria "virá" (pelo menos até o final das eleições).
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Eudes Ribeiro 15/07/2012 02:14
SO CEARENSE BURRO CCONTINUA VOTANDO NOS PTRALHAS COMO DISSE O COMENTARIO ANTERIOR, SÓ PROMESSAS EM EPOCA DE CAMPANHA ACORDA CEARÁ O BRASIL SÓ OLHA PARA O NORDESTE NA EPOCA DE ELEIÇÃO PASSOU AI SÓ DISDRIMINAÇÃO.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Guilherme Matias 14/07/2012 22:41
A refinaria volta a tona, sabe por quê? É mais um ano de eleição e mais uma vez vão enganar os bobos com a mesma promessa de antes que nada aconteceu.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
mauricio 14/07/2012 19:34
isso não existe, tudo é jogo político. essa refinaria não vai sair nunca. era somente estratégia do lula e dilma.no rio grande do norte tem petróleo e refinaria, mas o combustível é mais caro que no ceará
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Cid Baytola 14/07/2012 19:08
VOTE NO BURGUÊS ESPANCADOR DE PROFESSORES, VOTE ROBERTO CLÁUDIO, VOTE 40!
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Ver mais comentários
7
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:

Mais comentadas

anterior

próxima