Mobile RSS

rss
Assine Já
Obras 06/12/2013

Lojistas da Monsenhor Tabosa reclamam de prejuízos

Pelo menos até o fim de dezembro, comerciantes da avenida Monsenhor Tabosa vão ter que conviver com obras de requalificação da via. Eles reclamam do pouco movimento na alta estação
{'grupo': 'ESPECIAL PARA O POVO', 'id_autor': 18761, 'email': 'cotidiano@opovo.com.br', 'nome': 'Tha\xeds Brito'}
Thaís Brito cotidiano@opovo.com.br
EDIMAR SOARES
Intervenções na avenida Monsenhor Tabosa começaram em julho. Segundo a Prefeitura, via deve ser finalizada até 31 de dezembro
Compartilhar


O mês de dezembro é de crescimento nas vendas para as mais de 450 lojas da avenida Monsenhor Tabosa, na Praia de Iracema. No entanto, o corredor de compras, que vai do Seminário da Prainha até a rua João Cordeiro, encontra-se interditado por obra de requalificação da via. Lojistas reclamam da baixa nos negócios.


As intervenções na Monsenhor Tabosa começaram em julho deste ano. Já foram liberados os dois primeiros quarteirões, entre as ruas Gonçalves Ledo e João Cordeiro. A previsão da Secretaria do Turismo de Fortaleza (Setfor) é de liberar a avenida até 31 de dezembro para a circulação de veículos. Melhorias em drenagem, pavimentação e acessibilidade fazem parte de um pacote de obras orçado em R$ 21 milhões para a Copa de 2014.

 Veja imagens das obras do local

 Para Guilherme Oliveira, proprietário de uma loja de calçados, a avenida terá condições de acolher melhor os clientes. O que o lojista questiona é o tempo determinado para a realização da obra, prevista desde o início para terminar neste mês. “Por que escolheram essas datas sabendo que iam afetar o comércio de dezembro?” Contando apenas com os clientes que ainda utilizam a calçada, a loja reduziu o número de funcionários de quatro para apenas um. “O que a gente arrecadou não vai dar para o aluguel do ponto”, lamenta.


“Estamos vendendo como se fosse em março”, avalia Jane Teles, também lojista da Monsenhor Tabosa. Ela manifesta apoio à obra e diz esperar uma recuperação do movimento de turistas em busca de calçados e acessórios a preços populares. Apesar de estar localizada no último quarteirão interditado (entre o Seminário e a rua Senador Almino, fechado em novembro), a proprietária conta que desde julho as vendas enfraqueceram. “O faturamento caiu pela metade. Eu pensei que a loja ia quebrar, mas consegui sustentar porque tenho outro emprego”, relata.

Acordo


A demora se deve ao ritmo diferenciado dado à obra a partir do projeto inicial, conforme explica Salmito Filho, secretário municipal de Turismo. A proposta era começar pelo Seminário da Prainha em direção à rua João Cordeiro. Em conversa com lojistas e vendedores antes do início das intervenções, houve acordo para que a obra fizesse o caminho inverso. “Do ponto de vista técnico, a drenagem ficaria pronta com mais rapidez se tivéssemos começado pelo terreno mais baixo”, explica. Segundo o secretário, o trabalho ficou mais lento, mas a solicitação dos lojistas foi atendida com a interdição feita de quarteirão em quarteirão para que o acesso não fosse bloqueado integralmente em julho.


Em reunião entre a Setfor e os representantes dos lojistas, há duas semanas, a secretaria apresentou novos prazos. Até o dia 15 de dezembro, as obras de drenagem devem ser concluídas. Considerada a fase mais demorada da obra, ela evita possíveis alagamentos ocasionados pelas chuvas. Já a pavimentação deve ficar pronta até 31 de dezembro, havendo liberação da passagem de carros.


“A rua não será mais de paralelepípedo, mas com bloquetes de concreto que farão um piso intertravado, com maior qualidade”, afirma Salmito. Para janeiro, ficam os acabamentos das calçadas, que devem receber bancos e caramanchões para proporcionar áreas de sombra para pedestres.

 

Saiba mais

 

Assalto

Uma ação realizada por quatro assaltantes na tarde da última quarta-feira, 4, deixou a lojista Maritza Fabiane revoltada com a lentidão das obras na avenida Monsenhor Tabosa. Além do próprio estabelecimento, ela conta que outros quatro foram assaltados durante a semana. Na loja de Maritza, o grupo levou peças de roupa.

 

> TAGS: monsenhor tabosa
Compartilhar
espaço do leitor
Marcius Adelmo 09/12/2013 02:54
Na ultima 5a. feira pedreiros quebraram cano de esgoto na vala da drenagem, cheio forte até ontem não tinha resolvido. Assaltos toda semana só tem guarda na sombra da Igreja q não querem sujar suas botas. Mudam demais de projeto Quarta feira greve por falta de pagamento. Fale com Sassá da TonysMan
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Carlos 06/12/2013 13:49
Como se pode admitir que em plenas férias, e época de turismo e fim de ano, os lojistas deixem a prefeitura fazer tamanha intervenção em suas ruas?Não paguem mais impostos e vamos ver como é que fica. É só ser unido, que se tem força. Será que o pessoal é unido?
Este comentário é inapropriado?Denuncie
2
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor: