Mobile RSS

rss
Assine Já
Antônio Bezerra 14/08/2013

Advogado é assassinado a facadas em casa

Evaneudo Soares Martins, 49, foi morto na noite da última segunda-feira, em casa, no bairro Antônio Bezerra, a poucos metros do 5º Batalhão da PM. Polícia suspeita de latrocínio, mas admite outra linha de investigação
notícia 0 comentários
{'grupo': '.', 'id_autor': 18890, 'email': 'saraoliveira@opovo.com.br', 'nome': 'Sara de Oliveira'}
Sara de Oliveira saraoliveira@opovo.com.br
Compartilhar

 

A existência de duas câmeras na entrada e uma terceira no interior da casa não impediram que o advogado criminal Evaneudo Soares Martins, 49, fosse assassinado a golpes de faca. O crime aconteceu na noite da última segunda (12), na rua Anário Braga, no bairro Antônio Bezerra, a poucos metros do 5º Batalhão da Polícia Militar. Sem identificação de possíveis suspeitos, a Polícia trabalha com a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte), porém, admite haver outra linha de investigação. Dinheiro e posses são destacados por vizinhos como possíveis motivadores da morte.


O corpo do advogado foi encontrado às 21h47min por uma amiga, que teria achado o portão da residência entreaberto. De acordo com o diretor-adjunto da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado Franco Pinheiro, a faca utilizada pertencia à vítima e foi deixada no local. “Ele foi achado em posição normal, sem nenhuma deformidade que indicasse espancamento. Mas apenas o laudo pericial poderá dizer se houve briga ou tentativa de defesa”. O laudo da Perícia Forense do Ceará (Pefoce) deverá ficar pronto em dez dias.


Ainda conforme o delegado, informações fornecidas pelo sócio de Evaneudo, que era diretor-executivo da empresa Daje-Dinâmica Assessoria Jurídica, dão conta de que ele teria recebido uma alta quantia em dinheiro recentemente. “Isso reforça a ideia de latrocínio. Mas ainda será analisada a vida pregressa dele. A pessoa que matou poderia ser conhecida”, destacou. Conforme informações da assessoria de comunicação da Polícia Militar, o relatório policial sobre o crime não informa se pertences da vítima foram roubados.


Insegurança e ameaça


Clóvis Santos, 53, comerciante e amigo do advogado, foi uma das últimas pessoas a ver a vítima. “Ele lanchou comigo por volta das 17h30min, conversamos e estava tudo bem”, contou. De acordo com Clóvis, as câmeras da residência não estavam funcionando, embora Evaneudo já tivesse demonstrado receio quanto à sua segurança. “Ele pediu para eu aumentar o muro na parte detrás e já tinha comentado que não atenderia mais clientes em casa”, disse.


Um dos vizinhos de Evaneudo, que não quis se identificar, ressaltou que “tinha muita gente de olho grande” nas posses do advogado. “Ele tinha carro (uma caminhonete L-200), moto, computador e uma casa boa. Só o que tinha era gente querendo as coisas dele”, afirmou.


O diretor-adjunto da DHPP informou que Evaneudo registrou, em 2006, um Boletim de Ocorrência (BO) por ameaça. “É uma data muito antiga, pouco provável que tenha algo a ver. Até porque crime encomendado não se faz com uma faca de cozinha”, ponderou o delegado.

 

Saiba mais

 

A Ordem dos Advoga dos do Brasil secção Ceará (OAB-CE) acompanha o caso por meio do Centro de Apoio e Defesa do Advogado e da Advocacia. O presidente da OAB-CE, José Navarro, disse que ainda não há informações se o crime está relacionado à atividade profissional do advogado Evaneudo Soares Martins.

 

Compartilhar
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor: