Mobile RSS

rss
Assine Já
Política 09/06/2012 - 12h02

Obervadores da ONU denunciam "crimes horrendos" na Síria

notícia 0 comentários
Compartilhar

Confrontos na Síria deixam quase 80 civis mortos no início do fim de semana. Rússia reforça apelo por conferência internacional sobre o conflito no país, mas países ocidentais rejeitam a ideia.
Os observadores enviados pelas Nações Unidas à Síria examinaram neste sábado (09/06) pela primeira vez o cenário do massacre ocorrido em Al Kubair, na província de Hama, que deixou, segundo a oposição no país, quase 80 civis mortos.

Sausan Ghoshe, porta-voz da ONU na Síria, afirmou que no local "ocorreram com certeza crimes horrendos" e que o odor de cadáveres permanece no ar. Além disso, os observadores relataram a existência de rastros de sangue em paredes dos prédios da cidade. Enquanto o governo insiste em afirmar que o massacre foi cometido por supostos terroristas, os oposicionistas acusam a milícia Shabiha, próxima ao governo, de ter cometido os crimes.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos divulgou que 17 pessoas foram mortas em Daraa. A organização informou que, somente na última sexta-feira (08/06), 68 pessoas foram mortas em todo o país, sendo 36 civis. Os confrontos têm se intensificado no país nos últimos dias. De acordo com levantamento do Observatório, mais de 13,5 mil pessoas morreram na Síria desde o início das manifestações contra o governo, no ano passado.

Novo apelo russo

A Rússia ampliou seus apelos por um encontro internacional sobre a Síria, sublinhando que sanções ou intervenções militares vão apenas tornar a situação no país mais grave. "Aplicar restrições ou medidas de força nao vai obviamente trazer paz e irá apenas exacerbar a situação que já é complexa", disse o vice-ministro russo do Exterior, Gennady Gatilov.

Os massacres reportados na Síria nas últimas semanas têm aumentado as dúvidas sobre a eficiência do plano de paz elaborado pela ONU e impulsionado novas propostas de sanções ocidentais contra o país. A Rússia defende o plano de paz. O ministro russo do Exterior, Sergei Lavrov, vê uma eventual conferência internacional sobre o conflito sírio como forma de fazer com que o plano liderado por Kofi Annan funcione. Para ele, é necessária a participação de nações e grupos que tenham influência sobre o governo de Bashar Al-Assad e sobre seus inimigos.

A Rússia defende que o Irã tem "todo o direito" de participar da resolução do conflito e que Teerã poderia exercer um "papel construtivo na busca de um caminho para solucionar o conflito na Síria". Potencias ocidentais não concordam com a presença do Irã no diálogo.

Conselho escolhe novo líder

Líderes do Conselho Nacional Sírio (CNS) exilados na Turquia escolhem neste sábado (9/6) seu novo presidente, após o afastamento de Burhan Ghalioun, no mês passado. A votação acontece após comoção internacional pelo massacre em Al-Kubair.

Ghalioun pediu demissão no dia 17 de maio último, sob as acusações de abuso de poder e de não conseguir comandar de forma eficiente os comitês de coordenação local, que estão conduzindo os protestos contra o governo. Seus críticos também o condenam por concordar que a Irmandade Muçulmana desempenhe um papel de liderança no CNS.

Os oposicionistas tentam encontrar um nome de consenso que possa ser aceito por islâmicos, liberais e nacionalistas. O mais cotado é o do curdo Abdel Basset Sayda, membro do comitê executivo do CNS. Sayda está exilado na Suécia e integra o Conselho como ativista independente. Ele também lidera o departamento de direitos humanos do órgão.

MP/dpa/rtr/afp
Revisão: Soraia Vilela

DEUTSCHE WELLE

Compartilhar
0
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor no:
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.

São utilidades para enriquecer seu site ou blog por meio de códigos (Tags ou Scripts) que ajudam sua página a ser ainda mais informativa

Escolha o Widget do seu interesse

Newsletter

Receba as notícias do Canal Mundo

Powered by Feedburner/Google

Mais comentadas

anterior

próxima

Mobile RSS

rss
Assine Já