MUNDO 14/07/2014 - 00h30

O futuro da economia traçado em Fortaleza

A 6ª Cúpula dos Brics, que será sediada em Fortaleza, irá traçar uma nova etapa, que terá, possivelmente, como marco a criação do Banco dos Brics. O POVO entrevistou especialistas para saber o que eles pensam sobre esse novo caminho
{'grupo': '', 'id_autor': 18935, 'email': 'janainamarques@opovo.com.br', 'nome': 'Jana\xedna Marques'}
Janaína Marques janainamarques@opovo.com.br
Compartilhar

O panorama da economia mundial ganha novos traços, formulando uma nova história que começa a ser escrita na VI Cúpula dos Brics – grupo formando por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – que será sediada em Fortaleza, hoje e amanhã, no Centro de Eventos. O encerramento acontece na quarta-feira em Brasília.

“Mesmo que ainda não haja um grupo econômico formalizado, o evento é extremamente importante porque está decidindo assuntos mais homogêneos, de captação, como o Banco dos Brics e seu arranjo internacional, além de aprofundar a discussão sobre a moeda local que terá relação com o mercado internacional”, afirma o presidente do Conselho Regional de Economia (Corecon), Henrique Marinho.

Para o Ceará, na visão de Henrique, trata-se de um marco, pois estará recebendo um evento de grande porte, onde empreendedores locais terão contato com importantes empresários de grandes potências, como China. “O Estado já provou que é capaz de sediar um grande evento de lazer e turismo, que é a Copa do Mundo. Agora, o Ceará será testado para o turismo de negócio”, diz.

O professor especialista em relações internacionais da Mackenzie, Francisco Américo Cassano, ressalta que, em meio a este novo panorama, o Banco dos Brics, que será o marco da institucionalização do grupo, apresenta-se como uma alternativa ao Fundo Monetário Internacional (FMI) e ao Banco Mundial (BIRD), possibilitando maior independência e facilidade de crédito em moeda de aceitação universal (US$).

No entanto, o professor adverte que há obstáculos dentro dessa estruturação. “Ocorre que as instituições tradicionais (FMI e Bird) são rigorosas na concessão de crédito, pois se compõem de recursos dos próprios países membros. Dessa forma, têm que zelar por esses recursos e estabelecem regras e imposições duras a fim de garantir o retorno dos recursos concedidos aos países necessitados”, explica.

Cassano analisa que, se o Banco dos Brics adotar postura mais flexível, correrá o risco de perder recursos ao longo do tempo e os países membros terem que socorrer o banco continuadamente. “Isso, na prática, não é um bom negócio”, comenta. Segundo o especialista, as tensões entre os países membros e o resto do mundo existem. Elas estão entre a Rússia e a Ucrânia, ou na China, em guerra comercial com outras potências, por exemplo.

“As economias mais avançadas passaram a buscar novos caminhos alternativos, onde o baixo custo de produção ganha mais destaque. É nesse cenário que a China começa a despontar como economia expoente”, define. De acordo com Cassano, países com mercados mais dinâmicos, produção mais competitiva, tornam-se atraentes.

“A ampliação do comércio internacional é decorrência desse novo ciclo. Países com maior população e maior capacidade de produção se tornam mais atraentes e, nessa linha, se transformam em emergentes, como ocorre com Brasil, Índia, Rússia e África do Sul”, especifica.

O professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (USP), Paulo Roberto Feldmann, acredita que o fato novo é o crescimento dos países emergentes, mas reforça que essa qualidade extrapola as fronteiras dos Brics. “Há outros países muito importantes como México, Turquia, Indonésia e Polônia que apresentam grande potencial”.

NÚMERO

42
porcento da população mundial está nos Brics

Compartilhar
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:

TV O POVO

Confira a programação play

anterior

próxima

Economia

  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

São utilidades para enriquecer seu site ou blog por meio de códigos (Tags ou Scripts) que ajudam sua página a ser ainda mais informativa

Escolha o Widget do seu interesse

Newsletter

Receba as notícias do Canal Economia

Powered by Feedburner/Google