29/07/2016 - 15h50

Correção: Posição menor em swaps terá impacto menor na conta de juros

notícia 0 comentários

A nota enviada anteriormente possui incorreções. O movimento do câmbio no primeiro semestre deste ano permitiu que o déficit nominal (R$ 197,087 bilhões) fosse menor no período, e não o déficit primário, como constou. Segue a nota com as devidas correções:

O chefe adjunto do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Fernando Rocha, afirmou nesta sexta-feira, 29, que o impacto da posição do Banco Central em swaps na conta de juros será menor no segundo semestre, excluindo o efeito da variação cambial.

A posição em swaps do BC favoreceu um recuo substancial dos juros pagos pelo governo, de R$ 225,870 bilhões nos primeiros seis meses de 2015 para R$ 173,312 bilhões no primeiro semestre deste ano, conforme os dados fiscais divulgados hoje pelo Banco Central.

Este efeito ocorreu porque, na primeira metade 2016, o dólar se desvalorizou cerca de 18% em relação ao real. E toda vez que a moeda americana perde valor, o Banco Central registra ganhos em sua posição com swaps cambiais. Este movimento nos primeiros seis meses do ano - em especial em junho, quando a desvalorização do dólar foi de 10,7%, reduzindo o pagamento de juros de R$ 42,498 bilhões em maio para R$ 22,113 bilhões - também permitiu que o déficit nominal fosse menor, de R$ 197,087 bilhões de janeiro a junho. Sem este efeito cambial, o rombo seria maior.

Para o segundo semestre, a diferença é que o efeito sobre o resultado fiscal tende a ser menor justamente porque a posição do Banco Central em swaps vem diminuindo. No fim do ano passado, ela era superior a US$ 100 bilhões e, agora, está em torno da metade disso.

Rocha lembrou que o câmbio é flutuante e que "não dá para dizer como ele estará no segundo semestre". Na prática, não é possível saber se a posição do BC em swaps terá um impacto favorável sobre o pagamento de juros, como no início do ano, ou desfavorável.

No entanto, como a instituição vem reduzindo sistematicamente sua posição em swaps, por meio de leilões de swap cambial reverso, "excluindo o efeito câmbio, uma posição do BC menor em swaps terá impacto menor na conta de juro no segundo semestre", confirmou Rocha.

ESTADÃO conteúdo

espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

São utilidades para enriquecer seu site ou blog por meio de códigos (Tags ou Scripts) que ajudam sua página a ser ainda mais informativa

Escolha o Widget do seu interesse

Newsletter

Receba as notícias do Canal Economia

Powered by Feedburner/Google