Conheças nossos combos e pacotes promocionais!

CLIQUE E CONFIRA
No Brasil 11/08/2016 - 09h52

Volume de serviços tem queda de 0,5% entre maio e junho

Duas atividades tiveram alta em junho, na comparação com maio: informação e comunicação (0,2%) e transportes, serviços auxiliares de transportes e correio (0,1%)
Compartilhar

Em todo o País, o volume de serviços teve uma queda de 0,5% em junho deste ano, na comparação com maio. O recuo veio depois de uma alta de 0,2% em maio. A receita nominal também teve uma redução na passagem de maio para junho (-0,3%). Os dados, da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), foram divulgados nesta quinta-feira, 11, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O volume de serviços acusou quedas de 3,4% na comparação de junho deste ano com o mesmo período do ano passado, e de 4,9% no acumulado do ano e no acumulado de 12 meses.

Na passagem de maio para junho, quatro das seis atividades de serviços registraram queda, com destaque para outros serviços (-1,5%). Os outros recuos foram observados nas categorias de atividades turísticas (-0,6%), serviços prestados às famílias (-0,5%) e serviços profissionais, administrativos e complementares (-0,4%).

Duas atividades tiveram alta em junho, na comparação com maio: informação e comunicação (0,2%) e transportes, serviços auxiliares de transportes e correio (0,1%).

Agência Brasil

Compartilhar
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:

O POVO Online

Participe desta conversa com @opovoonline

TV O POVO

Confira a programação play

anterior

próxima

Economia

Erro ao renderizar o portlet: Caixa Instagram (API-USER)

Erro: 'data'
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

São utilidades para enriquecer seu site ou blog por meio de códigos (Tags ou Scripts) que ajudam sua página a ser ainda mais informativa

Escolha o Widget do seu interesse

Newsletter

Receba as notícias do Canal Economia

Powered by Feedburner/Google

O POVO Economia