Mobile RSS

rss
Assine Já
Gastronomia 27/05/2012

A globalização da gastronomia

notícia 0 comentários
Compartilhar

Desde quando a humanidade iniciou sua grande aventura em busca da ocupação de todos os espaços do planeta Terra, ocorrem as trocas de informações e experiências gastronômicas entre os agrupamento humanos. No início, estas trocas ocorriam de uma forma bem lenta, limitadas pelas dificuldades de comunicação e de transporte entre os diversos povoamentos. Nos séculos XV e XVI, a ousadia dos grandes navegadores europeus deu um grande impulso ao processo de globalização da gastronomia. A objetivo dessas arriscadas aventuras era o dinheiro, que seria obtido com a abertura de novas rotas comerciais que facilitariam o comércio de especiarias da Índia e de outros países do Sudeste Asiático. O resultado dessas aventuras acabou sendo muito maior que as expectativas iniciais: a descoberta das Américas e de toda a sua riqueza, e na Índia e Sudeste Asiático foram encontrados muito mais do que o cravo, a noz-moscada, a pimenta e o gengibre. Para a gastronomia mundial, o resultado foi imensurável pois, além dos novos ingredientes que foram introduzidos na cozinha europeia, o Oriente também recebeu novas técnicas e insumos que foram levados por esses exploradores.

Vou citar alguns casos interessantes de alimentos que foram globalizados há muito tempo:

 

Pimenta do reino - Esta pimenta é originária das florestas equatoriais da Ásia e o preço desta especiaria foi provavelmente um dos principais impulsionadores das grandes navegações. Hoje este tempero é utilizado em todo o mundo.

 

Tomate - É um fruto originário das Américas, acabou se tornando um dos principais ingredientes da gastronomia italiana. Foi difundido por toda a Europa e, depois, foi levado para todo o mundo.

 

Batata inglesa - Este, que é um dos vegetais mais utilizados na alimentação humana, é originário dos altiplanos andinos do Peru.

 

Trigo - É a segunda maior cultura de cereais do mundo. Os primeiros registros de seu cultivo são do Oriente Médio. É a base da alimentação de muitos países.

 

Milho - Originário das Américas, onde foi utilizado como alimento básico dos Astecas, Maias e Incas, este é o cereal mais cultivado do mundo.

 

Arroz- Este cereal, originário do Japão, alimenta mais da metade da população humana.

 

Macarrão - A versão mais fundamentada de sua origem é que este alimento é chinês, e foi levado para o Oriente Médio; os árabes o introduziram na Itália, que popularizaram a “pasta” italiana no mundo.

 

Uva - O cultivo das videiras começou no Oriente Médio a mais de 6 mil anos. Hoje vários países do mundo se especializaram no seu cultivo e na vinificação.

 

Hoje a velocidade da globalização é muito maior, por isso, podemos desfrutar de alimentos de várias etnias sem sair de nossa cidade. Mas é muito importante aproveitar todo o potencial oferecido por nossa região - temos bons elementos e podemos adquirir uma forte identidade gastronômica para contribuir com o mundo. Também devemos aceitar as boas influências trazidas de outros lugares, como é o caso do sushi que, na última década, foi incorporado à gastronomia cearense.

Compartilhar
0
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor no:
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.

Gastronomia

RSS

Gastronomia

ivonilo praciano

Escreva para o colunista

Atualização: Domingo

gastronomia

RSS

gastronomia

Elcio nagano

Atualização: Domingo

gastronomia

RSS

gastronomia

fernando barroso

Atualização: Domingo

TV O POVO

Confira a programação play

anterior

próxima

Economia

Newsletter

Receba as notícias da Coluna Gastronomia

Powered by Feedburner/Google

Mais comentadas

anterior

próxima

Mobile RSS

rss Assine Já